CISB discute colaboração em P,D&I na área de logística marítima

O workshop teve como objetivo abrir espaço para que parceiros brasileiros e suecos mostrassem os avanços nos projetos. Especificamente promoveu a discussão sobre possibilidades de colaboração em duas áreas de interesse de ambos os países: gerenciamento de tráfego marítimo e em tecnologias sustentáveis para a criação de um corredor verde logístico. “Este foi o segundo workshop que promovemos sobre os desafios de eficiência nos portos e logística intermodal e o uso da tecnologia, no caso a videoconferência, nos permitirá um avanço rápido das colaborações potenciais que foram discutidas”, destacou Alessandra Holmo, Managing Director do CISB.

Durante o workshop, o pesquisador do Centro de Inovação em Logística e Infraestrutura Portuária (CILIP) da USP, John Hough, e o gerente de negócios do Viktoria Swedish ICT, Per-Erik Holmberg, falaram sobre os projetos que estão sendo feitos em colaboração entre Suécia e Brasil. O diretor da empresa Oceânica, Daniel Cueva, apresentou o projeto Porto Digital, desenvolvido pela sua empresa. O professor da FEI, Mauro Sampaio, apresentou o cenário brasileiro para intermodalidade e logística verde, e o gerente de programa do Lindholmen Science Park, Jerker Sjögren, apresentou o projeto SWIFTLY, no qual o projeto Green Corridor desenvolvido na Suécia será inserido.

Hough destacou o andamento do projeto VTMIS – Vessel Traffic Monitoring & Information Systems, um sistema de monitoramento de tráfego de navios que atenda as demandas e as características dos portos existentes no Brasil. O projeto atua na integração de várias tecnologias, como radares, softwares de displays, sistema de comunicação por VHS, estação de previsão climatológica, entre outros.

Holmberg detalhou o Projeto MONALISA, que abarca o princípio do VTMIS e utiliza o caso do gerenciamento de tráfego aeronáutico como inspiração para o desenvolvimento de um sistema para o setor marítimo. O objetivo com a tecnologia é ampliar a transparência com maior fornecimento de dados aos diversos atores envolvidos no gerenciamento do transporte portuário, integrar a performance do sistema ao modo just-in-time de operação dos portos e à infraestrutura em terra disponível. A tecnologia procura tornar as operações portuárias mais seguras e eficazes, cortando assim os gastos com a ancoragem de navios fora dos portos, o que reduz o consumo de combustível e seu impacto nos custos e no meio ambiente.

Depois de falar sobre a Oceânica, Daniel Cueva apresentou números que mostram o aumento do transporte de carga via portos no Brasil. A seguir detalhou o projeto Porto Virtual, um sistema desenvolvido por sua empresa que conta com um poderoso banco de dados com informações sobre condições ambientais, informações geográficas e sobre os navios que permite a simulação de várias operações nos portos, em tempo real e numa interface 3D.

Mauro Sampaio falou sobre os desafios da criação dos chamados “Corredores Verdes”, que pretende integrar diversos tipos de transporte (intermodal) e tecnologias que reduzam o impacto ambiental, com destaque para aquelas voltadas a ganhos de eficiência que reduzem custos de operação e consumo de combustíveis. O projeto “Proposição de Corredor Marítimo Verde para o Brasil” recentemente aprovado pelo CNPq e uma parceria entre CILIP, CISB e LSP, será focado no estudo de viabilidade de um “Corredor Verde” nas condições brasileiras que integre curtas viagens de navio para transporte de carga – algo pouco utilizado no Brasil, apesar de ter 7,4 mil quilômetros de extensão litorânea –, com o transporte rodoviário de alta velocidade, que levaria as cargas para o interior do País.

Sjögren detalhou a arena CLOSER, uma plataforma de inovação que propões a interação em pesquisa, desenvolvimento e inovação entre governo, academia e empresas da Suécia e de parceiros no exterior em torno dos temas mobilidade urbana; transporte intermodal e corredores verdes; e transportes de alta capacidade – desenvolvimento de tecnologias para o uso de veículos de grande tamanho para transporte de carga. Ele mostrou o projeto SWIFTLY de desenvolvimento de um “Corredor Verde” que liga Suécia e Itália, o qual será conectado com a iniciativa do CILIP-CISB.

“A partir do que foi apresentado, vamos consolidar as discussões sobre as potenciais áreas de interesse e focar nossos esforços no sentido de promover a interação entre instituições e empresas brasileiras e suecas em torno do assunto e criar condições para o surgimento de novos projetos colaborativos entre os atores envolvidos”, finalizou Alessandra.

Confira as imagens do workshop.

Janaína Simões - Acadêmica Agência de Comunicação.