Cooperação Brasil-Suécia cria tecnologia de radar para matas fechadas

O CISB intermediou mais um importante projeto no setor aeroespacial, unindo o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) numa parceria com a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), o Instituto de Estudos Avançados (IEAv) e a Blekinge Institute of Technology (BTH - Blekinge Tekniska Högskola). Essa união surgiu em função das bolsas de pesquisa financiadas pelo CNPq, CISB e Saab que tem como objetivo atrair talentos brasileiros, para atuar em projetos de pesquisa considerados estratégicos para o setor aeroespacial.

O pesquisador brasileiro do ITA e um dos integrantes do grupo de pesquisa, Renato Machado, explica que o projeto é focado na área de sensoriamento remoto e considera imagens sintetizadas por um sistema aerotransportado desenvolvido pela Saab. Esse sistema, conhecido por Carabas, consiste em um radar de abertura sintética (SAR – Synthetic Aperture Radar) desenvolvido para utilização em caças, aeronaves de busca e resgate, em aeronaves de pequeno porte e em veículos aéreos não tripulados. A tecnologia é conhecida por Fopen (Foliage Penetration), em função da elevada capacidade de penetração que o sinal de rádio possui nessas faixas de frequência. O processamento das imagens captadas é sintetizado com o sistema sueco e tem como objetivo detectar alvos escondidos em florestas.

O resultado de mais de seis anos de pesquisa, segundo Machado, foi a criação de um sistema de radar para detecção de atividades humanas dentro de matas fechadas. O trabalho é um importante aliado das Forças Armadas e do Governo do Brasil, mas também é possível haver aplicação civil. O sistema desenvolvido auxilia no monitoramento e identificação de atividades ilegais na Amazônia, como o desmatamento, atividades de tráfico de drogas, contrabando na fronteira terrestre, entre outros.

Na aplicação civil, pode servir ao salvamento e resgate, por exemplo, na localização de aeronaves que sofrem queda em área de mata fechada ou na localização de pessoas perdidas em área de difícil acesso.

Machado comemora o sucesso do projeto e agradece a participação do CISB, que foi e continua sendo um elemento importante no processo de estabelecimento e manutenção das parcerias. Seja na promoção de eventos ou pela oferta de bolsas de missões de estudo de curta e longa duração que auxiliam nos processos de formação e qualificação de alto nível dos recursos humanos. “O CISB certamente vem contribuindo para aproximar academia, indústria e governo em áreas estratégicas do setor aeroespacial que envolvem Brasil e Suécia”, avalia o pesquisador.