Input do governo sueco na relação bilateral com o Brasil

Desde maio, o escritório de Ciência e Inovação da Embaixada da Suécia no Brasil tem um novo head: Jacob Paulsen. Formado em Engenharia Civil pelo KTH (Royal Institute of Technology), Paulsen assume por quatro anos a posição que está diretamente relacionada ao Ministério da Indústria e Comércio da Suécia.

O simples fato de o Brasil receber o escritório de Ciência e Tecnologia já demonstra a força da relação com a Suécia. Apenas outros quatro países em todo o mundo possuem uma unidade do órgão: EUA, Índia, China, Coréia do Sul e Japão.

“Temos ligações com empresas suecas no Brasil, principalmente na área de inovação, mas também atuamos com indústria, governo e academia, além das agências de fomento, como a Finep e o CNPq”, conta Paulsen. Mesmo com relações tão avançadas, ainda há muito trabalho pela frente. “O grande desafio é entender e mapear tudo o que está acontecendo nos dois países na área de ciência”, diz.

Paulsen lembra que o projeto envolve também o fortalecimento de programas de mobilidade, o que inclui o intercâmbio de estudantes de vários níveis, desde graduandos a pós-doutorados, entre os dois países. Segundo ele, os brasileiros têm muito a contribuir com os suecos principalmente nas áreas de bioeconomia, biocombustíveis e agricultura. “Por outro lado, a Suécia tem muito a transferir em diversos segmentos, como o de smart cities”, afirma.

O novo diretor traz na bagagem uma longa experiência pessoal e profissional em sustentabilidade, o que acredita que será de grande auxílio na sua atuação. “Minha experiência em sustentabilidade não se limita ao setor ambiental. Envolve também questões sociais e econômicas. Essa base me ajuda a entender melhor as condições brasileiras e a pensar nesse papel de ajudar a conexão entre os dois países”, afirma.

Outro fator positivo é o fato de Paulsen já estar vivendo no país há sete anos, atuando, entre outras coisas, como professor visitante na Universidade de Brasília e com uma empresa de consultoria em sustentabilidade.