Novas oportunidades para o Brasil

Em outubro de 2017, a Universidade de Linköping (LiU) deu um passo para fortalecer ainda mais suas parcerias com órgãos de diferentes países ao redor do globo. Naquele mês, o Strategic Collaboration Office abriu as portas com uma equipe de 7 pessoas, todas rearranjadas de outras áreas da própria universidade e que passaram a trabalhar full time em parcerias estratégicas.

Uma das frentes da Unidade são áreas geográficas estratégicas de cooperação internacional. Há um coordenador responsável pela China e parte da Ásia, outro para a coordenação da África com foco na África do Sul e o Brasil e a América Latina, tem desde maio de 2018 a brasileira Angela Sanseverino como coordenadora.  “O Brasil é um parceiro forte porque já possui colaborações sólidas com parceiros estratégicos da própria LiU”, conta. Como exemplo, ela cita programas de mobilidade de alunos e professores e parcerias estratégicas com entidades como Saab AB, CISB, institutos de pesquisa e órgãos de fomento brasileiros.

Angela também destaca, além do setor de aeronáutica, as áreas de inovação e negócios, novas tecnologias, transporte e sustentabilidade. Atualmente, a LiU conta com colaborações de pesquisadores brasileiros nesses setores. “Há intercâmbio de alunos e pesquisadores em ciências sociais, econômicas e geopolíticas, com foco em políticas do clima, questões ambientais como emissões de gases de efeito estufa, inovações tecnológicas, política internacional para mitigação dos efeitos de mudanças climáticas, entre outros”, cita.

A ideia é avançar e atrair mais pesquisadores de todo o mundo em várias áreas do conhecimento e inovação. “A Suécia tem modelo de desenvolvimento de estruturação de hélice tripla que pode colaborar muito para os pesquisadores brasileiros que desejam ampliar seus conhecimentos e estabelecer parcerias mutuas. Essas parcerias rendem frutos e aprendizados dos dois lados. Queremos continuar solidificando e dando suporte aos parceiros estratégicos e agregar a essas áreas mais pessoas e instituições”, diz.